Search
  • LGbank

What is Blockchain?

What is this technology that has gained the world's attention?

Is it the same thing as bitcoin? Is it safe? Is it a revolution?


Blockchain is a shared, immutable ledger used to record transactions, track assets and increase trust. Find out why companies around the world are embracing this technology.



De um jeito simples, o que é blockchain?

De forma resumida, blockchain é um sistema que permite rastrear o envio e recebimento de alguns tipos de informação pela internet. São pedaços de código gerados online que carregam informações conectadas – como blocos de dados que formam uma corrente – daí o nome. É esse sistema que permite o funcionamento e transação das chamadas criptomoedas, ou moedas digitais.


Como surgiu a blockchain?

O conceito do blockchain surgiu em 2008 no artigo acadêmico Bitcoin: um sistema financeiro eletrônico peer-to-peer, de autoria de Satoshi Nakamoto (pseudônimo do suposto criador do bitcoin).


Neste material, a blockchain é definida como “uma rede que marca o tempo das transações, colocando-as em uma cadeia contínua no ‘hash’, formando um registro que não pode ser alterado sem refazer todo o trabalho”.

Basicamente, a tecnologia surgiu para que o bitcoin pudesse existir, mas as possibilidades de uso vão muito além das criptomoedas.


Blockchain é a mesma coisa que bitcoin?

Não. Blockchain é a tecnologia que possibilitou a criação da bitcoin e de outras criptomoedas, como Ether e Litecoin, mas ela pode ser usada para diversas outras aplicações.


Como funciona a tecnologia blockchain?

Pense num trenzinho de brinquedo cujos trilhos estão espalhados pelo mundo inteiro. Não um, mas vários que formam uma rede global.

Cada material vai dentro de um vagão, que é validado por máquinas espalhadas pelo mundo. Se aprovado, ele é selado com um código complexo de letras e números e se junta a outros vagões.

Para aumentar ainda mais a segurança, cada vagão carrega seu código e o código do vagão anterior. Assim, caso alguém tente invadir um vagão, será preciso desvendar mais de um código.


Essa rede de trenzinhos não tem dono, por isso todos os envios são registrados num livro disponível para qualquer um acessar. Mas não é possível ver o que foi enviado nem quem enviou, apenas quando houve o envio.


Realizar todas essas operações é um pouco complexo. São poucas as pessoas que têm as máquinas necessárias para criar os códigos que selam os vagões e juntá-los com outros, por isso elas são remuneradas por esse trabalho.


Em termos técnicos:

  • Os trilhos espalhados pelo mundo e que possibilitam que os trens viagem por aí são a computação em nuvem (ou cloud computing): uma tecnologia que torna possível processar uma grande quantidade de informações na internet.

  • Cada vagão do trenzinho é um bloco com uma hash: uma função matemática que pega uma mensagem ou arquivo e gera um código com letras e números que representa os dados enviados (que podem ser mensagens ou arquivos).

  • Já o livro onde todos os envios dos trenzinhos são registrados é o ledger (que pode ser traduzido como livro-razão): uma espécie de documento onde todas as transações são gravadas. Essas informações não podem ser apagadas e qualquer pessoa pode acessá-las.

  • As pessoas que ligam um vagão no outro para formar o trenzinho são as chamadas mineradoras: responsáveis por calcular o “hash” certo de cada bloco para formar a ligação entre eles.

  • Por fim, os trenzinhos são as cadeias de blocos – ou, em inglês, blockchain.


Resumindo: o que é e como funciona a blockchain?

Blockchain é uma cadeia de blocos onde cada um contém um arquivo e um hash, o que garante que as informações desse bloco de dados não foram violadas.

Todo bloco criado contém sua hash e a do bloco anterior, criando uma conexão entre os blocos. É dessa ligação que surge o nome blockchain (corrente de blocos, em português).


Basicamente, a blockchain funciona assim:

  1. Maria quer enviar um ativo digital (uma criptomoeda, um contrato ou um arquivo digital) para João;

  2. O ativo é representado online como um bloco onde os detalhes estão armazenados;

  3. O bloco é distribuído pela rede e cada máquina fica com uma cópia da transação em tempo real;

  4. A rede verifica se o ativo é válido em questão de minutos;

  5. Se aprovado, o bloco é adicionado a uma corrente de blocos e ganha um registro permanente na rede. Isso significa que ele não pode ser alterado;

  6. A propriedade do ativo, que era de Maria, agora fica registrada na rede como sendo de João.

Toda essa movimentação é validada pela rede, mas ninguém sabe quem está fazendo a transação. Essa informação é protegida por um código formado por letras e números muito difícil de ser descoberto.


Blockchain é seguro?

Lembra que a rede de trenzinhos está espalhada pelo mundo e não tem dono? É essa característica que faz da blockchain uma tecnologia segura.


Como a rede não está centralizada em nenhum lugar e possui diversas camadas de segurança, invadi-la é extremamente difícil.


Quando o sistema reconhece que alguém está tentando invadi-lo, ele automaticamente trava em questão de segundos. Se você ouviu falar sobre bitcoins ou criptomoedas roubadas, é porque o crime ocorreu no equipamento do usuário ou na corretora contratada pelo internauta – não na blockchain.


Simply put, what is blockchain?

In short, blockchain is a system that allows you to track the sending and receiving of some types of information over the internet. They are pieces of code generated online that carry connected information – like blocks of data that form a chain – hence the name. It is this system that allows the operation and transaction of so-called cryptocurrencies, or digital currencies.


How did blockchain come about?

The concept of blockchain emerged in 2008 in the academic article Bitcoin: a peer-to-peer electronic financial system, authored by Satoshi Nakamoto (pseudonym of the alleged creator of bitcoin).


In this material, blockchain is defined as “a network that timestamps transactions, placing them in a continuous chain on the 'hash', forming a record that cannot be changed without redoing all the work”.


Basically, the technology came about so that bitcoin could exist, but the possibilities of use go far beyond cryptocurrencies.


Is Blockchain the Same as Bitcoin?

Not. Blockchain is the technology that enabled the creation of bitcoin and other cryptocurrencies, such as Ether and Litecoin, but it can be used for many other applications.


How does blockchain technology work?

Think of a toy train whose tracks are spread all over the world. Not one, but several that form a global network.


Each material goes inside a wagon, which is validated by machines around the world. If approved, it is sealed with a complex code of letters and numbers and joins other cars.

To further increase security, each car carries its own code and the code of the previous car. So, if someone tries to break into a car, more than one code will have to be cracked.


This train network has no owner, so all shipments are recorded in a book available for anyone to access. But it is not possible to see what was sent or who sent it, only when it was sent.


Performing all these operations is a bit complex. Few people have the machines necessary to create the codes that seal the wagons and join them with others, so they are paid for this work.


In technical terms:

The tracks spread around the world that make it possible for trains to travel around are cloud computing: a technology that makes it possible to process a large amount of information on the internet.

Each train car is a block with a hash: a mathematical function that takes a message or file and generates a code with letters and numbers that represents the data sent (which can be messages or files).


The ledger (which can be translated as ledger): a kind of document where all transactions are recorded. This information cannot be deleted and anyone can access it.

The people who connect one car to the other to form the little train are the so-called mining companies: responsible for calculating the right “hash” of each block to form the link between them.


Finally, the trains are the blockchains – or, in English, blockchain.


In short: what is blockchain and how does it work?

Blockchain is a chain of blocks where each one contains a file and a hash, which ensures that the information in that data block has not been tampered with.

Every block created contains its hash and that of the previous block, creating a connection between the blocks. It is from this connection that the name blockchain (block chain, in Portuguese) arises.


Basically, the blockchain works like this:

Maria wants to send a digital asset (a cryptocurrency, a contract or a digital file) to João; The asset is represented online as a block where the details are stored; The block is distributed across the network and each machine gets a copy of the transaction in real time; The network verifies that the asset is valid in a matter of minutes; If approved, the block is added to a chain of blocks and gains a permanent record on the network. This means that it cannot be changed; Ownership of the asset, which was Maria's, is now registered on the network as João's.


All this movement is validated by the network, but no one knows who is making the transaction. This information is protected by a code made up of letters and numbers that is very difficult to discover.


Is Blockchain Safe?

Remember that the train network is spread around the world and has no owner? It is this characteristic that makes blockchain a secure technology.


As the network is not centralized anywhere and has several layers of security, breaking into it is extremely difficult.


When the system recognizes that someone is trying to hack it, it automatically crashes in a matter of seconds. If you've heard about stolen bitcoins or cryptocurrencies, it's because the crime took place on the user's equipment or on the exchange hired by the internet user – not on the blockchain.


Why is everyone talking about blockchain?

Because this is a technology that makes it possible to create a series of revolutionary products – such as cryptocurrencies, digital currencies that are not backed by any country, for example.

In addition to cryptocurrencies, blockchain can also be used for document validation – such as contracts and stock exchanges –, financial transactions, commercialization of music or movies, tracking of remittances and even votes.


But despite the buzz, there is still a mistrust on the part of the population. According to the Trust Barometer survey, which measures trust in certain institutions and technologies, only 55% of respondents trusted blockchain.

7 views0 comments